Desculpa pela falta que eu causei

Às vezes eu acho que eu te devo alguma coisa. Alguma explicação do que aconteceu, algum pedido de desculpas que realmente valesse. E eu sei que você está bem e que você já me perdoou, mas a às vezes eu fico pensando se eu mesma me perdoei pelo que eu fiz. Eu gosto de te encontrar para saber que você está bem e que as coisas vão bem pra você. Eu só queria que você fosse muito, muito feliz, do jeito que eu não consegui ser quando estava com você. Não que eu não tenha sido feliz durante um período, mas depois eu não sei mais. Tudo que eu queria era saber explicar a falta de amor que eu senti. E eu fico com medo de te falar do meu novo amor, porque eu tenho medo que você continue me prendendo, lá no inconsciente. Me prendendo para que eu sofra o que você sofreu. Mas a verdade é que ninguém prende ninguém e geralmente quando a gente transfere a culpa para outra pessoa, é que o defeito é nosso. E eu sei que está tudo em mim.

Eu sei que acabou, mas talvez eu ainda não tenha me perdoado pelo jeito que acabou. Simplesmente por não entender o que aconteceu comigo. E por mais que eu já tenha te pedido desculpas, por mais que esteja tudo bem, quando eu te vejo, alguns fantasmas voltam. Alguma coisa ficou má resolvida, como uma casa abandonada que ainda entra luz. Minha vida fica voltando para o passado e eu me sinto presa em algum lugar. Eu tento me convencer de que o aconteceu comigo é normal. Eu apaixono e me desapaixono na mesma velocidade e isso me apavora. Porque eu sempre me apaixono por trinta coisas ao mesmo tempo e o mundo tem tanta coisa. Eu não entendo como as pessoas ficam ficionadas em apenas uma coisa, durante anos. Eu me pergunto se é alguma espécie de cegueira. E eu não consigo não me julgar por isso, porque parece ser um erro. E dizem que quando eu me apaixonar de verdade todos esses pensamentos vão sumir, como se eu tivesse alguma espécie de anomalia. E eu fico horrorizada por pensar que todas aquelas coisas que eu senti não eram amor. Então era o que? As coisas duram o tempo que elas têm que durar.

Os amores da minha vida foram amores da minha vida durante o tempo que eles existiram. Minha alma gêmea aparece de tempos em tempos, quando eu estou preparada para elas. E eu me entrego sempre, porque eu não tenho medo de viver. Não sei, talvez eu encontre alguém para ser uma espécie de camaleão comigo. Que mude de cor na mesma frequência que eu. Minha cabeça muda mais rápido do que eu consigo entender fisicamente. E acontece com todo mundo. E todo mundo machuca alguém e todo mundo sofre por alguém. Eu não deveria me sentir culpada por nada, mas às vezes eu sinto que tem um buraco dentro de mim. Me desculpa, pela milésima vez. Nem sei mais se estou pedindo desculpas para você ou pra mim.

Anúncios

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s